Constelação Familiar – Visão Sistêmica que traz solução (Ana Claudia Rabelo)

12. 05. 29
Acessos: 3069
 
 Muito difundida nos países europeus e ainda pouco conhecida dos brasileiros, a Constelação Familiar e de Negócios, é um Método criado por  Bert Hellinger, Teólogo, Filósofo e Terapeuta alemão que visa solucionar problemas no âmbito familiar, dos relacionamentos de casais, doenças e negócios, na medida que coloca o problema num contexto sistêmico, ou seja, no centro do sistema familiar e de relacionamentos do cliente.
A base do trabalho consiste em encontrar o acontecimento ou a pessoa decisiva dentro do sistema familiar que originou o problema e através disso, encontrar uma boa solução, através do que ele descreve como sendo “As Ordens do Amor”.
No entendimento do método da Constelação Familiar, um problema ocorrido em uma de cinco gerações anteriores e ( muitas vezes até em gerações anteriores ), e que ficou sem solução, ocasiona um desequilíbrio no sistema familiar que exige compensação. Essa compensação geralmente é realizada por um membro posterior do grupo ou clã, que mesmo sem ter conhecimento do fato ocorrido, é tomado por um impulso inconsciente de repetir e de  trazer novamente à luz, o que foi esquecido no passado familiar e deixado lá, através de formas muitas vezes estranhas, como através de depressões, conflitos familiares, falências, suicídios e outras variadas formas de “punições” que formam alianças cristalizadas entre membros da familia, mesmo de gerações diferentes que nunca se encontraram, dificultando assim, a individualização do membro do grupo que manifesta o problema. O que a Constelação faz é somente voltar os olhos do cliente e encontrar para onde olha esse amor que equilibra e une o que foi desvinculado, excluído ou esquecido.
A possibilidade de encontrar esses acontecimentos ou pessoas esquecidas e/ou excluídas do sistema familiar só é possível graças ao que o Biólogo Hupert Sheldrake denominou de “ CAMPO MORFOGÊNICO”, um campo de ressonância ciente que todo sistema familiar possui e que nada mais faz que repetir no presente o mesmo padrão que desequilibrou o sistema, trazendo assim o reconhecimento ao fato desagregador e conseqüentemente o alívio e a solução para o problema descrito.
 
O MÉTODO: A Constelação Familiar foi inicialmente desenvolvida para ser colocada em grupos, mas também é utilizada no atendimento individual, propiciando àquelas pessoas que não gostariam de colocar seu tema no grupo, um caminho para abordagem de seu problema.
No Grupo: O cliente ou constelado traz para o constelador, facilitador ou ajudante(como é denominado no meio) o seu problema de uma forma bem simples e concreta, num geral em uma frase. Desse tema, ou problema, o constelador define com quantas pessoas a constelação iniciará e   assim, pede ao constelado que escolha dentre os participantes do grupo quantas pessoas forem necessárias e o cliente posiciona assim essas pessoas umas em relação às outras dentro do “campo”
da constelação. E depois disso, apenas se senta e observa. Dos movimentos dos participantes, inicia-se a montagem da constelação até o ponto que não falte nenhum membro do sistema familiar  ou que de um momento para outro apareça o fato decisivo que se necessite para a solução do problema apresentado. Bert Hellinger ressalta que junto com o problema, o cliente traz com ele a solução, e só dessa forma o constelador pode, com todo o respeito e humildade, encontrar  a ordem que estava quebrada naquele sistema.
No atendimento Individual: São utilizados bonecos ou superfícies de projeção e os mesmos são posicionados uns em relação aos outros da mesma forma que no grupo.
São também utilizadas frases de reconhecimento dos fatos ocorridos. Muitas vezes chamadas de Injunções e Contra-Injunções (Quebra Encanto!)
CASO CONCRETO: Uma cliente veio com o problema que não conseguia encontrar seu lugar no mundo, não encontrava emprego e não parava em lugar algum. Ao ser perguntada quantos irmãos tinha, respondeu com hesitação apenas um. Ao ser colocada a constelação, os movimentos apontavam que ela não pertencia àquele sistema, o qual a cliente confirmou que tinha sido adotada ainda bebê. Constelada a sua família de origem, ela foi colocada na sétima posição, num total de dez irmãos. Reconduzida a seu grupo no processo interno da constelação, agora ela tinha encontrado seu verdadeiro lugar no mundo!
 
 
Artigo: ANA CLAUDIA RABELO, Administradora de Empresas, Auditora Fiscal, Consteladora Familiar e de Negócios, Analista Transacional (AT 101), no Brasil.
Atendimento em Grupos, Individual e Palestrante sobre o Tema. Temporada em Basel, na Suíça até dezembro de 2009. Outras Datas e Informações através do contato: Este endereço de email está sendo protegido de spambots. Você precisa do JavaScript ativado para vê-lo.
www.hellinger.com